Instigado pela mensagem do Papa João Paulo II, com o convite aos fiéis e instituições católicas a se fazerem presentes na internet e não deixá-la privada da sã doutrina de Cristo, Marcos Volcan, então Presidente do Conselho Nacional RCC do Brasil, apoiado em sua prática como Teólogo e professor universitário, sentiu-se inquieto pelo apelo da mensagem do Papa:

 

[...] a Internet pode oferecer também o tipo de continuidade requerida pela evangelização. Especialmente numa cultura desprovida de fundamentos, a vida cristã exige a instrução e a catequese permanentes e este é, talvez, o campo em que a Internet pode oferecer uma ajuda excelente. Na «Net» já existem inúmeras fontes de informação, documentação e educação sobre a Igreja, a sua história e a sua tradição, a sua doutrina e o seu compromisso em todos os sectores, em todas as partes do mundo. Assim é óbvio que, apesar de a Internet nunca poder substituir aquela profunda experiência de Deus, que só a vida concreta, litúrgica e sacramental da Igreja pode oferecer, ela pode certamente contribuir com um suplemento e um apoio singulares, tanto preparando para o encontro com Cristo na comunidade, como ajudando o novo crente na caminhada de fé, que então tem início.

[…] nestes tempos de dificuldade, permiti-me perguntar: como é que podemos garantir que este maravilhoso instrumento, inicialmente concebido no âmbito das operações militares, pode agora servir a causa da paz? Pode ele favorecer a cultura do diálogo, da participação, da solidariedade e da reconciliação, sem a qual a paz não consegue florescer? A Igreja acredita que sim; e para assegurar que é isto que acontecerá, ela está determinada a entrar neste novo foro, armada com o Evangelho de Cristo, o Príncipe da Paz.

A Internet faz com que bilhões de imagens apareçam em milhões de écrans de computadores no planeta inteiro. Desta galáxia de imagens e sons, emergirá o rosto de Cristo e ouvir-se-á a sua voz? Porque somente quando vir o seu rosto e ouvir a sua voz, é que o mundo conhecerá a boa nova da nossa redenção. Esta é a finalidade da evangelização. E é isto que fará da Internet um espaço autenticamente humano, porque se não houver lugar para Cristo, não haverá lugar para o homem. (Papa João Paulo II, Mensagem no 36° DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS)

 

Movido por essas palavras e pelas conquistas que a RCCBRASIL vinha alcançando com as inovações em seu Portal e Editora, desde 2005, Marcos Volcan apresentou a ideia do Instituto ao Conselho da RCCBRASIL e, em meados de 2009, começou-se a traçar os primeiros planos para a criação do IEAD. Em 19 de abril de 2010, foram ao ar os dois primeiros cursos, como experiência piloto: Introdução à Bíblia Sagrada e Doutrina Social da Igreja. Eles foram escolhidos pela pertinência com o contexto da moção profética de Reconstrução Espiritual do Movimento, com o contexto da temática da Campanha da Fraternidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil daquele ano e com os projetos missionários do Movimento iniciados na Amazônia. Imediatamente,foi grande a adesão, ultrapassando a expectativa de duas turmas e foram criadas mais de vinte turmas, exigindo a ampliação da equipe de trabalho e contratação de novos profissionais e tecnologias.

 

Para mim, apostar nesta ideia do IEAD foi realmente uma experiência inesquecível e maravilhosa. Por fazer parte da primeira turma, estávamos iniciando junto com o projeto do próprio IEAD. No começo era tudo novo, tínhamos a expectativa daquilo que íamos aprender no decorrer no curso.

As experiências que vivemos juntos durante os meses alavancaram o projeto para que o Movimento desse continuidade com outras turmas e assim aconteceu. São dois anos formando carismáticos. Sempre que testemunho, digo que os cursos além de nos formar como carismáticos, enriquecem os nossos corações com a doutrina da nossa Igreja Católica que é uma doutrina rica e maravilhosa e criam laços fraternos entre os membros do Movimento.

Quantas coisas partilhamos juntos! Em paralelo aos assuntos das aulas, partilhamos experiências de dores, dificuldades de alguns irmãos ao executarem as aulas, mas cheios de esperança nos uníamos e continuávamos adiante.

Deus seja Louvado por este Projeto, Fruto do Espírito Santo! (Juliana Piva, aluna da primeira turma do curso Introdução a Bíblia Sagrada).


VEJA TAMBÉM:

Institucional